sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

O Advogado


Uma organização de caridade deu-se conta de que nunca tinha recebido qualquer doação do advogado mais bem-sucedido da cidade. A pessoa encarregue das contribuições foi falar com ele para o convencer a contribuir.

"Após uma pesquisa aos nossos registos concluímos que o Sr., embora tenha um rendimento anual acima dos 500.000 euros, nunca ofereceu um único centavo para a nossa organização de caridade. Não quer contribuir com alguma coisa?"

O advogado ponderou durante um momento e respondeu: "Em primeiro lugar, a sua pesquisa também mostra que a minha mãe está a morrer de doença prolongada e cujas contas médicas chegam a ultrapassar a meu rendimento anual?"

Constrangida, a representante da organização de caridade murmurou, "Hum... Não."

E o advogado continuou: "ou que o meu irmão, um veterano deficiente, está cego e confinado a uma cadeira de rodas?"

A representante da organização de caridade começou a balbuciar uma desculpa, mas foi interrompida novamente.

"Ou que o marido da minha irmã morreu num acidente de automóvel" - a voz do advogado cada vez mais indignada - "deixando-a sem um tostão e com três filhos para criar?"

A representante da organização de caridade disse envergonhadamente: "Eu não fazia a mínima ideia…"

E o advogado culminou: "Então, se eu não dou um tostão a nenhum deles, porque diabo iria contribuir com um cêntimo para a vossa instituição?"

Sem comentários:

Publicar um comentário

;